Tuba Livre a todo vapor no Facebook

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O inchaço do currículo escolar

image
Leia a opinião de Clodoaldo Corrêa, do blog Mídia, associado ao jornal O Imparcial, de São Luís do Maranhão, sobre uma matéria da revista VEJA que critica a proposta de inclusão de novas disciplinas no currículo escolar.
Leia a opinião do Tuba no final do post.
VEJA quer mais matemática e menos pensamento crítico

A revista VEJA desta semana publicou uma matéria intitulada “Só falta pensar no ensino”, na qual critica projetos de Lei que tramitam no Congresso nacional para que sejam incluídas novas matérias no currículo escolar, tais como Cooperativismo, Leitura e educação para as Mídias e Cultura da Paz.

A revista que tem seus interesses comerciais e políticos sempre bem explícitos para o leitor preparado, mostra mais uma vez que não tem tanto interesse que as pessoas tenham mais cultura para que possam distinguir o que uma revista de grande circulação e repercussão quer impor.

A matéria em questão ainda, embasada no especialista da revista Cláudio Moura, critica o inchaço no currículo e acredita que deveria ser destinado mais tempo para disciplinas como matemática. Para a Veja não é nada interessante uma disciplina como Leitura e educação para as Mídias, onde as crianças aprenderiam a ter discernimento acerca das matérias tendenciosas ou não dos grandes veículos de comunicação do país.

Uma disciplina como Cooperativismo, onde os alunos aprenderiam a ter sua própria fonte de renda em sua comunidade e não ser refém do grande empresariado não é uma coisa boa para a VEJA, já que seus grandes investidores são os senhores do capital.

A matemática é sim importante demais. Mais são as disciplinas que fazem as crianças pensarem, terem visão crítica é que as estimulam a ter prazer pelo conhecimento e vontade de estudar todas as disciplinas.

TUBA COMENTA: A inclusão dessas novas disciplinas no currículo escolar é relevante para o ensino, mas isso pode acontecer em detrimento das disciplinas que já estão no currículo, como aconteceu com a matéria Física, que teve a carga horária reduzida no segundo e terceiro anos do ensino médio na Rede Estadual do Maranhão para que fossem incluídas novas disciplinas obrigatórias como Sociologia e Filosofia.

Não adianta aumentar a quantidade de disciplinas continuando a mesma carga horária total do curso. Uma solução para essa questão é a implantação do ensino integral (em dois turnos), que no Maranhão está aquém do esperado.

No entanto, o aumento da carga horária total não é solução por si só, já que mais tempo no banco escolar não rende frutos se o ensino permanece o mesmo: tradicional, burocrático e desconectado da realidade dos jovens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
▲ TOPO ▲