Tuba Livre a todo vapor no Facebook

domingo, 27 de junho de 2010

Ainda não conhecem o Estado de Sarney!


O post “Maranhão: conheça mais sobre o Estado de Sarney” causou uma série de polêmicas devido ao seu teor depreciativo. Muitos maranhenses insatisfeitos colocaram seus queixumes e não pouparam esculhambações à minha pessoa; resultado já esperado. Porém, eu não estou aqui para me desculpar. Muito pelo contrário. Escolhi um comentário postado muito curioso e interessante de ser debatido, que, como os demais, só comprova que o maranhense não tem nada além de orgulho.

Detalhe importante: EU SOU MARANHENSE. Vale a pena lembrar, pois tem leitores que não têm paciência de ler antes de vir com pedradas.

O texto do comentário postado segue com a fonte preta e as minhas doces respostas em vermelho entre colchetes.

“Quanto à procedência da pessoa [ele fala de mim] deve ser de um estado que não existe miséria, políticos corruptos...

[Errado. É um Estado onde só tem miséria e políticos corruptos. Lembrando mais uma vez: o Maranhão.]

O que é engraçado é que quem poderia falar mal elogia. É o caso de europeus, asiáticos, sulamericanos, norte americanos, que conhecem e voltam encantados com as belezas naturais, cultura, culinária.

[Interessante. Por essas linhas você me faz entender que está falando dos turistas, não é mesmo?! Pois sim! Eles vêm para ver só isso mesmo. Eles não vêm para cá estudar, trabalhar e morar. É certo que muitos turistas falam bem desses itens, agora pergunta o que eles acham do fedor da cidade. Todos os investimentos estatais para atrair visitantes nunca incluíram o quesito limpeza.]

Afinal não é pra todos: ter o segundo maior litoral Brasileiro, o maior acervo português da America Latina, ser cidade brasileira da cultura, patrimônio mundial da UNESCO, temos o Delta das Américas, Lençóis Maranhenses (Oasis Brasileiro), Ilha do Amor, Jamaica Brasileira.

[Quanto ao litoral, está correto, temos o segundo maior litoral do país, composto de belas praias, entupidas de merda. Pois, se você não conhece nada sobre o seu Estado, eu conheço. São Luís é a única cidade do Maranhão que tem (em pouquíssimos bairros) algo que se pode chamar de rede de esgoto, mas não adianta nada também. Pois a única estação de tratamento, que fica no Bacanga, nunca ouvi dizer que tenha funcionado algum dia. A governadora diz que tem outra no bairro do Jaracati. Não sei onde ela viu, pois lá não tem nada além de uma grande cisterna. Daí você pode imaginar para onde vai tudo. Para o mar! Toda a bosta de São Luís vai para o mar! Para o belíssimo litoral maranhense, segundo em extensão no Brasil.

Portanto só posso dizer que São Luís mudou o conceito de ilha: ilha era uma porção de terra cercada de água por todos os lados; São Luís é uma porção de terra cercada de merda por todos os lados.

Quanto aos deltas e aos lençóis, são muitos bonitos para os turistas verem. Se você se atrever a dar um passeiozinho por Barreirinhas, a cidade onde estão localizados os Lençóis Maranhenses, não irá ver nada de belo. A maioria dos povoados não tem sequer energia elétrica. Até o artesanato vendido à beira do rio Preguiça são de comerciantes mais abastados. Qualquer pessoa entendida de conjunturas de cidades sabe que as riquezas das mesmas são de usufruto de uma minoria, para o resto da população, resta a pobreza. Em se tratando de um povoado do Maranhão, pobreza é um eufemismo para miséria.

E quanto aos títulos culturais, não passam de marketing político. E, sinceramente, eu não entendi a parada do acervo português.]

 Está aí um detalehe paradisíaco da praia Ponta d'Areia.

Temos o porto mais estratégico do Brasil; próximo da Europa; EUA e África.

[Cujo rendimento não tem participação no PIB maranhense, assim como as demais empresas de grande porte: Vale e Alumar. Foi criado à base de corrupção como tudo nesse Estado.Leia o livro de Palmério Dória: Honoráveis Bandidos.]

Temos o melhor lugar do Mundo para Lançamento de foguetes que é cobiçado por Americanos; Russos; Japoneses... Manifestações folclóricas variadas e riquíssimas.

[Realmente é de botar inveja em qualquer governante de qualquer país. Pois alguém que se acha dono de todo o Estado, na época presidente do Brasil, cedeu a área que seria construída a base de lançamento de Alcântara. Sem consultar mais ninguém. É dele, e ele deu, papel passado e tudo. Cedeu até mais do que estava no projeto. Todos as comunidades quilombolas da região foram tiradas; as famílias foram obrigadas a saírem de suas casas pelo mísero valor de 400 cruzeiros. Comunidades pesqueiras e agrícolas foram remanejadas para um local pedregoso, infértil e longe do mar. Qualquer presidente no mundo queria ter esse privilégio; de se intitular dono de um local e vender e dar para quem quisesse.]

No passado fomos disputados por Franceses, Holandeses e Portugueses. Além de outras qualidades que eu poderia passar vários dias escrevendo.

[Faça-me rir agora. Pelo amor de Deus! Sem comentários, essa daí. Agora o Maranhão precisa se orgulhar de ter sido alvo do imperialismo europeu! Por isso que tem gente que se orgulha de Sarney! Acho que essa é a regra. Temos que amar aqueles que nos exploram.]

É uma pena que nem tudo é para todos. Com tantas qualidades e esse “ser humano” apenas observou os defeitos.

Falar mal dos Sarney, TUDO BEM,\ mas, esculhambar com o povo, NÃO.”

[Estou cansada de falar mal dos políticos, e dizer que o povo é coitadinho. O Estado segue o exemplo desse cidadão, que pensa que as coisas estão às mil maravilhas, e que corrupção e miséria existem em todo lugar; estamos empatados com o resto do Brasil. Portanto está tudo ótimo! Vou terminar com o pequeno clichê: o povo tem o governo que merece.]


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. As pessoas confundem "ser crítico diante das mazelas geradas pela própria sociedade" com "alguém que não ama a sua terra ou o lugar onde escolheu para viver".
    Aliás, ninguém gosta mais do lugar onde mora do que aqueles que lutam para mudá-lo, criticando construtivamente o que está errado e não combina com uma cidade desenvolvida.

    ResponderExcluir

 
▲ TOPO ▲