Tuba Livre a todo vapor no Facebook

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Jornalismo brasileiro: imparcial nem O Imparcial

image
Em homenagem ao bravo jornalista Walter Rodrigues, que morreu ontem.

É muito difícil para um jornalista que cubra os assuntos política e economia, principalmente, se emite opinião, ser um profissional independente e imparcial nas coberturas, ainda mais em ano de eleição.

Muitas vezes fica visível para quem o sujeito torce, como são o caso de Boris Casoy (da Band), Paulo Henrique Amorim (Confersa Afiada – Portal IG), Arnaldo Jabor e Miriam Leitão (ambos CBN / Globo), para ficar com os exemplos mais notáveis que me vieram à cabeça no momento.

Está “estampado” na testa destes jornalistas, comprometidos com suas ideologias, para qual candidato a presidente na nossa típica polarização eleitoral eles votam. Não por coincidência costuma ser o candidato preferido de seus chefes-empresários.

Não vou aqui citar nomes de candidatos, para que eu próprio, mesmo de forma inconsciente, não acabe revelando quem eu defendo e, assim, tornando-me também imparcial.

Estou discutindo este assunto porque aqui no Maranhão cada jornal tem seu partido. Alguns como o Jornal Pequeno e o Estado do Maranhão são totalmente explicitos em suas posições e até travam uma guerra para tentar convencer o eleitor a votar nos seus candidatos a governador e presidente.

Dê uma olhada nas notícias e nas colunas de cada jornal na internet, para tirar suas próprias conclusões e ver a que ponto anda o jornalismo por aqui.
Links do Jornal Pequeno: http:///www.jornalpequeno.com.br e de O Estado do Maranhão: http://imirante.globo.com/oestadoma/ .

Outros jornais, como O Imparcial (acesse aqui), tentam preservar o nome, mas não são muito felizes, pois acabam dando suas escorregadas na direção de um cacique político. Aliás, está na hora deste jornal, do grupo Diários Associados, mudar de nome. Está dando muito na cara!
Alberto Dines, no socorra!

No entanto, em meio a tanto jornalismo chapa branca, uns poucos conseguem arrebentar as correntes da censura empresarial e dos privilégios da carreira e resolvem ficar do lado da sociedade, do lado do cidadão.

É o caso de Walter Rodrigues, que infelizmente veio a falecer, na noite dessa terça-feira (18), por volta de 22h, aos 59 anos. Ele estava em casa, na Ponta do Farol, acompanhado da namorada Keila, quando passou mal e sofreu um infarto fulminante.

Walter Rodrigues nasceu em Belém (PA). Foi diretor de redação de O Estado do Maranhão e trabalhou, também, nos jornais O Imparcial, Jornal Pequeno e O Debate. Segundo o jornalista Décio Sá, crítico dos políticos e poderosos locais, sempre teve dificuldade de manter sua independência  nos órgãos por onde passou. Por conta disso, criou um encarte chamado WR Jornal onde mantinha uma coluna denominada Colunão. Atualmente, devido a dificuldades para manter a publicação, teve de transferir o Colunão para um blog na internet. Dono de um texto preciso, ao mesmo tempo crítico e inteligente, tinha poucos amigos verdadeiros, diz Décio Sá (blog do Décio).

A última atualização do blog do Walter Rodrigues foi ontem mesmo. Acesse o Blogue do Colunão: http://www.walter-rodrigues.jor.br/ .

Quer uma análise imparcial da imprensa brasileira? Acesse o site Observatório da Imprensa, dirigido pelo jornalista Alberto Dines. Clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
▲ TOPO ▲