Tuba Livre a todo vapor no Facebook

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Casos de polícia bizarros

Homem assalta loja na Flórida volta dias depois para comprar água; é reconhecido e preso.
É doido! É doido!

Cão leva multa de trânsito por ficar em lugar inapropriado.

Um cão recebeu uma multa de trânsito na cidade de Darwin, na Austrália, porque estava parado em um lugar inapropriado. Cachorro não é gente mesmo! 
Benjamim Dewer foi detido acusado de ter efetuado chamadas falsas (só por serem falsas?) para o serviço 911.
O norte-americano Erik Stebile, de 29 anos, foi preso após ficar entalado na tubulação de ar de uma igreja, na cidade de Fremont, no estado da Califórnia (EUA), quando tentava se esconder da polícia. Ele se esqueceu de que não se pode fugir dos olhos de Deus. Por ironia foi levado para a prisão de Santa Rita.

Fazer o quê?! Ela é uma freira e não uma santa!

Uma mulher acompanhada pelos dois filhos denunciou um homem que estava se masturbando enquanto dirigia. Foi encontrado no carro um frasco de viagra, porém o acusado alegou que só usou meio comprimido. Alegação essa que não serviu de atenuante.

Um homem foi reclamar ao policial que não recebera os serviços que pagou a uma prostituta. Isso aconteceu em Troms, norte da Noruega, cidade onde é proibido pagar por serviços sexuais desde janeiro. Ele foi a primeira pessoa a violar a lei.

E agora? Será que ele vai reclamar disto?

Quem tem telhado de vidro não jogue bala de canhão nos dos outros.

6 comentários:

  1. Essa do canhão eu gostei, principalmente, para usar na casa de vizinhos que põem o som “nas alturas”.

    ResponderExcluir
  2. LOL!!! A primeira foi foda! uahsasashuhuashashu

    ResponderExcluir
  3. “Juiz manda colocar fita adesiva de réu reclamão.” Faltou o “na boca”. Muito boa coletânea hehe, valeu!

    ResponderExcluir
  4. Se tu coloca a fonte provando a veracidade da manchete vai fica bem mias engraçado.

    ResponderExcluir
  5. pensei que não ia postar coisas sem muito proveito. Mas são noticias que sao comicas mas poderiam ser vistas como tragicas.

    ResponderExcluir

 
▲ TOPO ▲